domingo, 29 de janeiro de 2012

Abaíra ou Zabelê?




Estive no vilarejo conhecido como "Vale do Capão", distrito de Palmeiras-BA, do final do ano passado até o dia 12 deste mês.
Ao procurar por cachaças artesanais na região me deparei com dois nomes: Abaíra (na Chapada, atualmente, sinônimo de cachaça, como ocorreu em Paraty e Januária!) e Zabelê, esta última, nome de uma localidade da cidade de Ibiraquara, próxima uns cinquenta km do Vale do Capão.
Ao que sabemos a Abaíra é uma Cachaça produzida pela COOPAMA- "Cooperativa dos produtores de cana e seus derivados da microregião de Abaíra", mas que estandardiza e engarrafa cachaças de alambiques das cidades de Jussiape, Mucugê, Piatã e Abaíra.
A Cachaça artesanal que é bebida nos bares do Vale do Capão frequentemente é branca, armazenada em bambonas de plástico, sendo chamada ou de Abaíra ou Zabelê. Estas cachaças, no cômputo geral, são bastante "rústicas", com presença de colarinho extremamente persistente, forte cheiro da matéria prima e "sabor característico de cachaças fortes" (como referência comparativa para "sabor característico de cachaças fortes" utilizo: Corisco de Paraty, Vitorina de Fortuna de Minas, Século XVIII de Cel. Xavier Chaves e Rainha de Bananeiras... todas brancas).
A comunidade de Zabelê possui mais de dez engenhos de Cachaça, todos de alambique muito simples e realmente artesanais, que abastecem as cidades vizinhas e algumas mais distantes, inclusive algumas cidades da região sul da chapada, região na qual está Abaíra e as demais cidades da COOPAMA.
Não se percebeu na localidade do Vale do Capão, ou Ibiraquara nenhuma iniciativa de exploração turística da produção local de cachaça, ou mesmo iniciativa de organização dos produtores da comunidade de Zabelê na criação de uma cooperativa ou associação.
Das cachaças com selo do ministério da agricultura, nesta viagem, tive a oportunidade de beber a Abaíra (prata e ouro) e a Serra das almas (prata e ouro) da cidade de Rio de Contas. Saliento que o armazenamento da Serra das Almas "ouro" é feito em tonéis de "Garapeira" o que parece ser a mesma madeira utilizada pela Abaíra "ouro". A Serra das Almas branca, ganhou 1°lugar no ranking da revista Vip, degustação às cegas organizada pelo "Mapa da Cachaça" ( http://mapadacachaca.com.br/blog/vip-ranking-das-melhores-cachacas-brancas-2011/). Percebe-se nesta cachaça, outro “acabamento" quando comparada às demais em todos os três níveis de degustação (visual, olfativa e paladar).
Outro dado que chamou a atenção é o fato de NENHUMA das Cachaças da comunidade de Zabelê/Ibiraquara receberem nome! Não recebem nome nem de seus produtores, nem das fazendas onde são produzidas. São chamadas todas apenas de "Zabelê", o que mostra uma identificação despretensiosa e informal.
Cabe salientar ainda que foram visitados dois alambiques na localidade de Zabelê. O do Seu Benedito, e o do Seu Daniel, este último, ao que parece, o mais antigo produtor de cachaça da localidade de Zabelê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário